quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013


Dia 07/02/2013

Num país onde educação é deixada em último lugar pelos governantes, onde a dívida que nosso prefeito assumiu da administração anterior é absurda, onde não há nem insulina nos postos de saúde, onde a área de saúde pede socorro, faltam recursos até para esparadrapo, luvas, e outras coisas básicas.

Onde os salários dos profissionais de saúde deveriam ser os melhores salários do país, salários de professores são absurdamente baixos.

Não posso concordar com todo gasto gerado para esse tal de CARNAVAL, não posso concordar com 
gastos para a copa, gastos astronômicos, numa época atrás, quem é do meu tempo se recorda do termo usado OBRAS FARAÔNICAS, SALÁRIOS DE FARAÓS, de lá para cá nada mudou, pelo contrário PIOROU.

Vivemos dias de PAÍS DAS MARAVILHAS, o básico para dignidade humana não existe, é muito triste ver pessoas dormindo em relentos, embaixo de viadutos, perambulando sem rumo, sem ter nenhuma expectativa de melhorar na vida, enquanto muitos nem sabem mais o que fazer com tanto dinheiro roubado.

O povo sobreVIVE...

Um país que não sabe escolher seus governantes para um preço alto demais .... até quando coisas supérfluas serão a prioridade de um governo indiferente aos anseios de um povo....???

Temos esperanças com HOMENS como o Ministro Barbosa, mas,

"Uma andorinha só não faz verão". Frase vem de livro do filósofo Aristóteles. 


Até QUANDO VOU ACORDAR NUM PAÍS QUE FAÇA JUS Á CONFIANÇA QUE DEPOSITEI NAS URNAS????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Até quando...

É preciso acrescentar ‘em uma vida inteira’, pois uma andorinha não faz verão, nem um dia tampouco; e da mesma forma um só dia, ou um curto espaço de tempo, não faz um homem feliz e venturoso.” (Aristóteles, Ética à Nicômaco)...

Inutilidades de um país...  CARNAVAL,  ESTÁDIO PARA A COPA...  
Clê ...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Para administrar uma empresa com eficiência, é indispensável o acesso a informações confiáveis, precisas e oportunas, o que faz da informática um setor cada vez mais prioritário.

Conscientes da carência de instrumentos e métodos que possibilitem a utilização plena das informações, a T.T.I. TREVISAN TECNOLOGIA INFORMÁTICA LTDA, nasceu com o objetivo de modernizar e otimizar a produtividade dos trabalhos executados nas empresas, integrando-os a um efetivo sistema de informações, que ofereçam resultados operacionais práticos, oferecendo sempre uma solução completa ao cliente que deve preocupar-se apenas com o objetivo de sua empresa, deixando por conta da T.T.I. todos os problemas relacionados com a informática.

A T.T.I., presente no mercado desde 01/07/1986, tem se destacado no desenvolvimento de software , prestação de serviços, manutenção e comercialização de equipamentos de informática, Projeto Completo de Infra-estrutura de Rede (Servidores, Desktop´s, e toda Infra-Estrutura da Rede de comunicação dos dados), e com o setor de identificação confeccionando crachás e carteirinhas com códigos de barra em PVC para controle de acesso.

Para atender os objetivos da T.T.I os seus profissionais têm formação Técnica Eletrônica, Especialistas certificados em LINUX e Microsoft, e a nível de Pós Graduação na USP.

Venha conhecer nossos produtos e serviços em nossa sede própria na Av. Zelina 1253, São Paulo - SP, CEP 03143-003, ou solicite através do telefone (011) 2341-9299 a presença de um consultor para melhor assessorá-lo.

segunda-feira, 8 de março de 2010

quinta-feira, 4 de março de 2010

Maravilhas do Aloe Vera da Forever Living

Aloe Vera

Hidratante, cicatrizante, emoliente e laxante. O aloe tem dois produtos principais: o gel, resultante da expressão da folha carnuda do aloe vera; e o aloés, que é obtido do suco desidratado da folha do aloe vera.
Aloe barbadensis Miller

Nome Comum: Aloe
Outros Nomes: Aloe vera, Erva-babosa, Babosa, Aloe barbadense
Sinónimos: Aloe elongata Murr., Aloe lumilis Blanco, Aloe indica Royle, Aloe littoralis Koen, Aloe perfoliata vera L., Aloe vera L. Var. officinalis Baker, Aloe vulgaris Lamarck, Aloe vera Tourn. ex L., Aloe vera (L.) Webb. (non Miller)


O aloe é uma planta nativa do Este e Sudeste de África. Pertencente à família das Liliáceas, o aloe cresce espontaneamente nos trópicos e é cultivado um pouco por todo o mundo, principalmente na Índia ocidental e na zona costeira da Venezuela.

Acerca do uso medicinal do aloe vera, temos, antes de mais, que fazer uma distinção importante sobre as aplicações desta planta. Assim, temos dois produtos principais do aloe: o gel, resultante da expressão da folha carnuda do aloe vera; e o aloés, que é obtido do suco desidratado da folha do aloe vera. De acordo com estes dois produtos, assim temos também aplicações, contra-indicações e recomendações diferentes.

O gel de aloe é rico em água e polissacáridos, como os glucomananos, galactoglucomananos e mananos acetilados. Estes componentes tornam este gel um bom hidratante, emoliente (acalma e diminui a dor e a inflamação) e cicatrizante. Devido à sua acção anti-inflamatória, imunomodeladora e até anti-viral, este gel é ideal para ser aplicado em feridas, queimaduras e até em eczemas e na psoríase.

Além destas propriedades cosméticas e terapêuticas, o gel de aloe vera também é utilizado para preparar uma bebida, à qual a medicina popular atribui propriedades benéficas no tratamento de gastrites, úlceras gastroduodenais e até do cancro.
Os preparados à base de gel de aloe vera devem conter entre 10-70% de gel fresco. Não devem ser utilizados sobre cesarianas nem após laparoscopias, uma vez que, em alguns estudos, demonstraram ter um efeito retardador do processo de cicatrização destas feridas.

Em relação ao aloés, são essencialmente as propriedades laxativas, aquelas que ressaltam da sua aplicação na medicina. O seu elevado conteúdo em compostos antracénicos leva este suco a possuir uma acção estimuladora da secreção da mucosa intestinal e um aumento do peristaltismo intestinal. É a conversão dos compostos hidroxiantracénicos em aloe-emodina-antrona (substância activa) que permite ao aloés ter uma acção laxativa. Segundo a ESCOP (European Scientific Cooperative on Phytotherapy) e a CE (Comissão Europeia), o aloés está indicado nos casos em que é necessário ocorrer uma evacuação fácil com fezes moles. O tratamento deverá ser, contudo, de curta duração e torna-se, particularmente, útil nos casos em que existem fissuras anais, e após intervenções cirúrgicas na zona anorectal.

Contra-indicações e Recomendações
No que respeita a contra-indicações sobre a utilização do aloés, há a salientar que este não deverá ser utilizado nos casos em que existe obstrução intestinal, doenças inflamatórias intestinais (como doença de Crohn, colite ulcerativa), apendicite, dor abdominal de origem desconhecida, hemorróidas, problemas renais, menstruação e em crianças com menos de 12 anos de idade. É ainda conveniente que a sua utilização não se faça por mais de 8 a 10 dias seguidos, sem consulta médica. Devido à perda de electrólitos, em particular de potássio, o aloés não deve ser usado em conjunto com medicamentos para o coração, diuréticos e corticosteróides. Existem ainda referências que a sua utilização também não deverá ser feita em simultâneo com o alcaçuz (também denominada raiz doce). O aloés não deve ser igualmente utilizado na gravidez e na amamentação.

Quanto às formas galénicas e às doses recomendadas, o aloés pode ser usado sob forma de pó, extracto aquoso e extracto hidroalcoólico, em formas sólidas e líquidas. A forma farmacêutica deve permitir doses inferiores às recomendadas. E a dose individual correcta deverá ser a dose mínima para obter uma defecação cómoda. A ESCOP recomenda que deverão ser preparados com 10-30mg de derivados hidroxiantracénicos, administrados uma vez por dia e à noite.

Apesar do aloe vera ser uma planta com muitas aplicações medicinais, é sempre conveniente não esquecer que o conselho do seu médico, além de fundamental, é, em muitos casos, absolutamente indispensável.

Texto de Pedro Lôbo do Vale *
* médico

Publicado na revista Performance nº 25

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Como limpar o mercúrio sem se contaminar

Termômetros de mercúrio

Quando um membro da família se sente doente,
verificamos se tem febre. Buscar o termômetro é na
maioria das vezes um dos primeiros passos quando
procuramos cuidar de alguém que não se sente bem.
Mas, ironicamente, o tipo de termômetro para febre
que você possui em sua casa pode representar um risco
à saúde da sua família e da sua comunidade.
Quando crianças, a maioria dos pais de hoje,
cresceram com termômetros de mercúrio nas suas
casas. Os termômetros de mercúrio são fáceis de
reconhecer. Termômetros de mercúrio são feitos de vidro
no tamanho de um canudinho, com um líquido prateado e
esbranquiçado no interior. Este líquido é o mercúrio. O
mercúrio tem se demonstrado útil em aparelhis de medir
medição tais com termômetros, mas ele é uma substância
tóxica que pode causar mal tanto a seres humanos
quanto à vida selvagem.
O mercúrio afeta o cérebro humano, a
espinha dorsal, os rins e o fígado. Ele afeta a
habilidade de sentir, ver, saborear e mover.
thermo_portugeser2cx.p65 2 9/7/01, 3:22 PM

Ele pode causar formigamento nos dedos das mãos e dos
pés, dormência ao redor da boca e cegueira. A exposição do
mercúrio por um tempo prolongado pode resultar em
sintomas progressivamente piores e que levam a alteração
da personalidade, letargia e estado de coma. Populações de
vida selvagem, especialmente as aves do gênero Gavia, estão
já exibindo os efeitos do envenenamento pelo mercúrio.
Há tanta poluição mercúrio que 40 estados dos EUA estão
atualmente alertando os seus residentes para que não
comam certos tipos de peixes em alguns ou quaisquer dos
lagos, rios e riachos do estado.
Nas mulheres grávidas, o mercúrio pode passar pela
placenta, onde ele afeta o desenvolvimento do feto ao
impedir que o cérebro e o sistema nervoso se desenvolvam
de maneira normal. Crianças afetadas exibem inteligência
reduzida, audição prejudicada e pouca coordenação. O
desenvolvimento verbal e motor pode ser atrasado. Em
função dos perigos para o feto em desenvolvimento, o
governo federal recomenda que mulheres gestantes ou que
possam vir a ficar
grávidas não comam
peixe contaminado
com mercúrio.

Risco sério à saúde

Termometro quebrado

Vacias familias tem o termômetros de mercúrio nas suas
caixas de remedios por vários anos, sem que nunca tenha
se quebrado. Ainda assim, funcionários da saúde pública
em todo o país têm relatado um aumento constante de
ligações efetuadas por pais preocupados com o fato de
terem quebrado acidentalmente seus termômetros de
mercúrio.
Só porque seu termômetro de mercúrio nunca se quebrou,
não quer dizer que isto não possa acontecer. Muitas vezes,
os pais não limpam o mercúrio derramado por não saber
que seu termômetro se quebrou, ou que o mercúrio foi
derramado em uma rachadura no chão ou foi absorvido
pelo tapete. Se o mercúrio vazar de um termômetro e não
for limpado, ele irá se evaporar completamente, capaz de
alcançar niveis perigosos de contaminação do ambiente
interno.

O maior risco está relacionado à exposição do mercúrio em
um ambiente interno, pequeno e mal ventilado. Até
mesmo a mais diminuta quantidade de mercúrio precisa
ser tratada como um assunto sério.

Até mesmo a mais diminuta quantidade de mercúrio deve ser tratada como um assunto sério.

Na maioria dos casos, a quebra de um termômetro de febre
não irá oferecer riscos à sua saúde, mas dadas algumas
condições o mercúrio de um termômetro de febre pode
causar danos sérios à sua saúde ou à saúde da sua família.
Casos recentes de envenenamento com mercúrio a partir
de um termômetro de mercúrio envolveram crianças
pequenas expostas ao mercúrio derramado num tapete. As
sintomas incluíram apatia, irritabilidade, hipertensão,
perda de peso, suor, sensibilidade à luz e eczema. Algumas
destas crianças precisaram de meses de tratamento antes de
voltar a se sentir bem.

Alternativas Acessíveis

A sua farmácia local dispõe de uma variedade de alternativas
sem mercúrio. As alternativas mais similares em termos de
custo em relação ao termômetro de mercúrio para medição
de febre são os termômetros digitais e os termômetros de
vidro de gálio. Estes podem ser usados por via oral, retal ou
axilar (no sovaco). Outras alternativas incluem os
termômetros de cabeça flexível, que são baratos, ou o
termômetro infravermelho, este mais caro. Termômetros de
cabeça flexível são de uso fácil e rápido, mas não são muito
precisos. De acordo com a Associação Médica Americana, a
Uma variedade de alternativas sem mercúrio estão disponíveis na sua farmácia local.

Outros equipamentos que contenham mercúrio.

Ao eliminar o uso do
termômetro de mercúrio em sua casa você estará dando um exemplo para os
hospitais em sua comunidade. Se a assistência médica que você recebe ainda se
utiliza termômetros de mercúrio ou outros equipamentos que contém mercúrio
tais como aparelhos para medir pressão arterial, ofereça-lhes uma cópia deste
folheto e peça que pesquisem outras alternativas. Duas entre três cadeias de
farmácias já se comprometeram em parar de vender termômetros de mercúrio.
Fale com o seu farmacêutico local para que ele remova das estantes os produtos
que contenham mercúrio. Ajude a distribuir este folheto a creches, associações
de pais e mestres e outras organizações preocupadas em cuidar da saúde da
criança.

O termômetro Descarte sem poluir sua comunidade...

Junte os implementos necessários


Antes de começar a fazer a limpeza. Estes incluem luvas, um
conta-gotas e dois pedaços firmes de papel ou cartolina, dois
sacos de plásticos, uma bandeja ou caixa grande, fita
adesiva ou fita para embalagem, uma lanterna e um
recipiente com boca larga.
Lembre-se de que qualquer ferramenta usada para a remoção
deve ser considerada contaminada e descartada juntamente
com o mercúrio.
Não toque no mercúrio. Remova
jóias e relógios das suas mãos
pois o mercúrio irá se ligar ao
metal. Coloque as luvas, de
preferência luvas de plástico, para minimizar o contato
com o mercúrio. Use a lanterna para localizar o mercúrio.
A luz irá refletir nas bolhas de mercúrio fazendo com que
sejam mais fáceis de encontrar.

Limpe o derrame. Superfícies diferentes requerem
procedimentos diferentes para a limpeza.

Em uma superfície dura ou em tecido de malha fina e
apertada use papel duro para empurrar as bolhas de mercúrio
de maneira que se juntem. Use o conta gotas para aspirar as
bolhas de mercúrio, ou trabalhando sobre a bandeja para
apanhar quaisquer derrames, levante as bolhas de mercúrio
com um pedaço de papel duro. Cuidadosamente coloque o
mercúrio no recipiente de boca larga. Recolha quaisquer vestígios.

Deve ser tomado cuidado

Uma vez que tenha sido adquirida uma reposição que não
contenha mercúrio é preciso descartar o termômetro antigo
de maneira segura. Não jogue o termômetro antigo no lixo.
O lixo é incinerado ou enterrado.
Em ambos os casos, o mercúrio irá encontrar um caminho
até o meio ambiente através de emissões pelo ar ou
contaminação da água. Este mercúrio irá então afetar muitas
coisas vivas, incluindo seres humanos.
Leva seu termômetro de mercúrio para uma central de
descarte de material caseiro perigoso. Muitos estados ou
agências locais operam estes tipos de centrais como
cletores permanentes ou de estação. Este serviço é
tipicamente gratuito.
Para maiores informações sobre a coleta de material caseiro perigoso na sua
área, ligue para a agencia estatal de controle de poluição ou o
departamento de saúde listado nas páginas dedicadas a agências
governamentais da sua lista telefônica.

Nunca descarte o seu antigo termômetro de mercúrio no lixo.

Imediatamente depois do derramamento
mantenha todas as pessoas e animais longe da área onde ocorreu
o derramamento. Para minimizar a evaporação do mercúrio,
desligue quaisquer aquecedores e ligue o ar condicionado.

Nunca use um aspirador
para limpar um derramamento de mercúrio. O mercúrio irá não
só contaminar o seu aspirador, mas o calor do aquecedor irá
fazer com que o mercúrio se evapore, distribuindo-o ainda
mais pela casa. Da mesma maneira, nunca use uma vassoura
para limpar o mercúrio. Isto só fará com que o mercúrio seja
distribuído em bolhas menores e irá contaminar a vassoura.


bolhas de mercúrio remanescentes com fita adesiva e coloque
a fita adesiva contaminada num saco de plástico junto com
o conta-gotas, o papel duro e as luvas. Marque o saco como
refugo de mercúrio. Coloque este saco e o recipiente selado
em um segundo saco. Marque-o como refugo de mercúrio
e ligue para a sua agência estatal para saber sobre a maneira
apropriada para fazer o descarte.

Em um tapete ou carpete, a seção contaminada por
mercúrio deve ser cortada e removida. Esta seção juntamente
com todos os itens usados para fazer a limpeza, devem ser
colocados num saco plástico. Marque-o como refugo de
mercúrio e ligue para a sua agência estadual para saber sobre
a maneira apropriada para fazer o descarte.

Em uma pia com água o mercúrio irá para o fundo.
Remova a maior quantidade possível de água sem perturbar
o mercúrio e depois remova o mercúrio com uma contagotas.
Coloque em um recipiente de boca larga, feche a
tampa e sele-a com fita adesiva. Marque o material como
refugo de mercúrio e ligue para sua agência estadual para
saber sobre a maneira apropriada para fazer o descarte.

Em uma ralo, o mercúrio ficará retido no cotovelo da pia.
Trabalhando com um bandeja por baixo, remova o
cotovelo e derrame o conteúdo em um recipiente de boca
larga. Feche a tampa do recipiente e sele-o com fita
adesiva. Marque-o como refugo de mercúrio e ligue para
sua agência estadual para saber sobre a maneira apropriada
para fazer o descarte.


Health Care Without Harm
Health Care Without Harm (Assistência médica sem fazer mal), a campanha por uma
assistência médica com responsabilidade ambiental produz e distribui esta publicação.
Health Care Without Harm é uma campanha internacional com mais de 300
organizações participantes centradas em transformar a indústria da assistência médica de
tal maneira que esta não seja mais uma fonte de danos ao meio ambiente eliminando a
poluição causada por práticas de saúde. A campanha trabalha com hospitais e outras
instituições de cuidados médicos para gradualmente eliminar o uso de mecúrio e outros
poluentes tóxicos usados em produtos de assistência ou práctica médica.
HealthCare Without Harm
1755 S Street NW, Unit 6B
Washington DC, 20009
p: 202-234-0091 f: 202-234-9121 www.noharm.org
Thomas M. Menino, Mayor
Mercury Thermometer Exchange Program
Environmental Health Office
1010 Massachusetts Avenue, 2nd floor
Boston, MA 02118
Phone: 617-534-5966
Fax: 617-534-2372
Boston Public Health Commission
thermo_portugese r6.P65 12 10/18/01, 8:01 PM

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Proteja os seus cabelos das agressões do verão Proteção solar, hidratação e lavagem correta garantem brilho e maciez

Durante o verão, as agressões do Sol forte, do vento, da água do mar ou da piscina acabam prejudicando a saúde dos cabelos. Fios quebradiços, sem brilho e ressecados são algumas das características das madeixas vítimas da estação. A sorte é que pequenos cuidados podem blindar os fios em qualquer situação. Para te ajudar nessa missão, o MinhaVidaconversou com a dermatologista e especialista em cabelos Maria Bussade. Ela ensina as técnicas que protegem e mantêm os cabelos bonitos.


Ao natural: o verão permite cabelos mais "bagunçados" e com balanço natural. Libere as ondas e os cachos, garota! A primeira dica é diminuir o uso da chapinha e do secador, que durante os dias quentes acabam provocando ainda mais danos para os cabelos. "Nesta época, os fios perdem mais água e ficam mais ressecados; o uso da chapinha e do secador agravam essa situação", explica a especialista.

Cabelo de verão - Getty Images

Enxágue bem: curtiu a piscina ou o mar? Então, não espere para secar as madeixas ao vento e corra para lavar bem os fios com água corrente para que o cloro e o sal não prejudiquem a beleza dos seus cabelos. "O cloro, em excesso, e o sal da água do mar danificam os fios. O cloro pode, inclusive, alterar a cor dos fios tingidos, já que contém produtos químicos que podem mexer no DNA dos cabelos", explica.

Cabelos limpos: para manter os cabelos brilhosos e cheios de vida durante a estação, a especialista reforça a importância de deixar os fios sempre limpos e livres de impurezas. "Durante o calor, o suor e a umidade facilitam muito os problemas como seborreia e a caspa. Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, a lavagem diária não prejudica, mas sim, melhora a qualidade dos fios", diz a dermatologista.

Livre, leve e solto: durantes os dias quentes, ficar com os cabelos soltos é um verdadeiro sufoco, mas, de acordo com a especialista, não amarrá-los ainda é a melhor maneira para evitar os fios quebrados. "No verão, lavamos mais os cabelos e permanecemos mais tempo com eles molhados. Os fios, quando úmidos, ficam mais sensíveis e frágeis, e prendê-los facilita a quebra", diz a especialista.

"Durante o calor, o suor e a umidade facilitam muito os problemas como seborreia e a caspa"

Alimentação balanceada: uma alimentação equilibrada é fundamental para manter os cabelos brilhantes e fortes durante a estação mais quente do ano. "A saúde do corpo reflete nos cabelos e, quando estamos com a alimentação em dia, os fios também ficam mais bonitos", diz. "As vitaminas e os sais-mineiras são importantes para manter os cabelos saudáveis. É importante consumir folhas verde-escuras, que são ricas em ferro e ácido fólico, proteína da soja, além de alimentos ricos em biotina, como as leguminosas", explica.

Guarda-sol: proteger os cabelos das radiações solares também é muito importante para evitar estragos. "O Sol deixa os fios mais fracos e quebradiços. Para proteger, vale usar chapéu, boné (há versões de tecidos com proteção solar) ou produtos sem enxágue, que tenham filtro solar em sua composição", diz Maria Bussade.

Diminua a química: evite o uso de tinturas e de procedimentos com produtos químicos porque as agressões aos cabelos já são grandes com a ação do vento, do sol, da água do mar e dos produtos presentes na água da piscina. "Evite sempre passar produtos que tenham formol na fórmula e peça ao cabeleireiro para checar o rótulo do produto e verificar a quantidade de compostos", explica.

Hidratação eficiente: no verão, a umidade relativa do ar aumenta, porém os fatores característicos da estação deixam os fios expostos a fatores que tendem a ressecá-los. "O indicado é hidratar os cabelos de uma a duas vezes por semana, usando sempre ampolas de vitamina A e de vitamina E. Produtos à base de siliconetambém são uma ótima alternativa", alerta a dermatologista.

Cabelo no verão - Getty Images

Pó de colágeno: outra dica da especialista é consumir o colágeno em pó, que atua diretamente nos cabelos, proporcionando mais brilho e força para os fios. ?O colágeno em pó hidrogenado, principalmente para os dias mais quentes, quando os fios perdem água e ressecam. Mas, vale lembrar que antes de usá-lo, é preciso de uma orientação médica e que, para os resultados permanecerem, é preciso respeitar o tratamento de três meses contínuos?, diz Maria Bussade.




Fonte:http://minhavida.com.br/conteudo/10442-Proteja-os-seus-cabelos-das-agressoes-do-verao.htm


Nome:
Advance Techniques Spray Protetor Solar
Descrição:

advance techniques professional

Linha Solar
Recupera e protege o cabelo dos danos causados pelo sol, sal e cloro

Forma uma película protetora contra os efeitos nocivos do sol e o desbotamento da cor

• Ajuda a manter a hidratação natural dos fios, deixando-os maleáveis, sedosos e brilhantes.
• Deixa os cabelos com aparência saudável, sem resíduos pesados.
• Ajuda a condicionar e hidratar os fios.
• Leave-in de textura leve e não gordurosa.
• Para todos os tipos de cabelo. 150 ml

INGREDIENTES
Sun Rescue Complex: combina creatina, filtro UV e extratos marinhos, que ajudam a proteger os cabelos da raiz às pontas.

MODO DE USAR
Nos cabelos limpos, aplique uma quantidade generosa do produto em todo o comprimento. Não enxágüe. Seque e penteie como de costume e, se preferir, aplique-o antes dos produtos para finalização do penteado. Para resultados ainda melhores, reaplique sempre que entrar no mar ou piscina. Uso diário.



R$ 12,00

Nome:
Advance Techniques Restauração Creme de Tratamento Cosméticos Intensivo Pós-Sol
Descrição:

advance techniques professional

Linha Solar
Recupera e protege o cabelo dos danos causados pelo sol, sal e cloro

Instantaneamente ajuda a proporcionar intenso condicionamento

• Recupera a maciez e a hidratação dos fios, aumentando seu brilho.
• Proporciona sensação de frescor ao couro cabeludo.
• Nutre e revitaliza os cabelos secos, da raiz às pontas.
• Diminui o frizz, deixando os cabelos com aparência mais saudável. 200 g

INGREDIENTES
Sun Rescue Complex: combina creatina, filtro UV e extratos marinhos, que ajudam a proteger os cabelos da raiz às pontas.

MODO DE USAR
Após lavar os cabelos com Shampoo, espalhe uma pequena quantidade do produto nos cabelos molhados massageando-os. Deixe agir por um minuto e enxágüe.


R$ 12,00


Pedidos:

cindyecle.pedidos@gmail.com


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Consciência Ambiental!!!

É melhor jogar papel higiênico no lixo ou no vaso?

Depende. Se o esgoto do seu bairro for mandado para

uma estação de tratamento, o indicado é jogar no vaso sanitário

- A A +

Por vários autores*
Revista Vida Simples - 10/2008

“O papel higiênico – tanto faz se mais fino ou mais grosso –

vai ser parcialmente dissolvido na água e o que chegar à

estação de tratamento será separado e descartado em um

aterro sanitário junto com os demais resíduos sólidos”,

explica Hélio Padula, gerente de serviços da

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

“A pessoa só não pode exagerar na quantidade de papel por vez

para evitar entupir o vaso ou as instalações hidráulicas da casa”,

diz. Se for jogado no cesto de lixo, o papel também vai parar no

aterro, porém, por ser embalado em sacos plásticos, seu impacto

ambiental é maior – plásticos, como se sabe, levam décadas para

ser decompostos na natureza.

Caso sua cidade não conte com uma rede coletora de esgoto ou

uma estação de tratamento (para se informar disso, ligue para a

concessionária de esgoto local), jogue o papel higiênico no lixo

do banheiro. Quando lançado no vaso, ele entope mais

rapidamente a fossa séptica (tanque enterrado no jardim ou

quintal da casa para onde vai o esgoto doméstico quando não

há rede coletora). Ao mesmo tempo, aumenta a poluição das

águas, já que o esgoto de cidades sem estação de tratamento

é despejado in natura em rios ou no mar. Fraldas, absorventes

higiênicos e camisinhas devem ser jogados no lixo.

*Por Márcia Bindo, Priscilla Santos, Vinícius de La Rocha

e Yuri Vasconcelos

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/lixo/conteudo_391999.shtml